Publicações

Artigos

Livros

nota tecnica 1.jpg

Mosca Branca: Ameaça aos Cultivos da Agricultura Familiar

 

A agricultura familiar se depara com um grande desafio nos seus sistemas de cultivos. Um dos agentes biológicos do nosso ambiente ecológico tem se tornado uma “praga” importante e causado males do ponto de vista da produção e rentabilidade desses sistemas. A mosca branca, inseto sugador com alta capacidade de reprodução, tem sido encontrado em quintais produtivos dos agricultores familiares, que normalmente utilizam água de cisternas de produção de 52 m³ para o provimento hídrico dos seus cultivos e, principalmente em cultivos de áreas irrigadas as margens de rios, ou captadas de poços profundos, onde a dinâmica de produção é muito mais efetiva ao longo do ano.

(Leia online)

nota tecnica 2.jpg

Uso dos Formulados Químicos NPK: Soluções e Controvérsias

 

O cientista alemão Justus von Liebig, responsável por pesquisa que levou a produção dos fertilizantes químicos, até então fundamentados no sistema NPK, onde o N, significa o nitrogênio, o P, fósforo e K, potássio. Esses três elementos considerados macronutrientes, tem uma influência decisiva no ambiente de desenvolvimento das culturas, uma vez que influenciam todos os atributos vegetativos/produtivos das culturas, das raízes aos frutos. No território Itaparica, nas comunidades que desenvolvem atividade socioprodutiva irrigada, com captação de água a partir do rio São Francisco, o uso dos formulados químicos são bastante efetivos para todas culturas trabalhadas pelos agricultores/as beneficiários desse projeto.

f6039a58-03d8-48b1-af13-bed858fc8049.jfi

"Biomineralizantes": Uso dos biofertilizantes e pós de rocha pela Agricultura Familiar

 

Construído dentro do Contrato 031/2017 celebrado entre CAR/2017.002.990-0 e AGENDHA, esta Nota Técnica sobre o uso de Biomineralizantes é um dos produtos do Programa Emergencial de ATER, configurado para suprir a continuidade da assessoria aos agricultores/as e suas Organizações, nesse período de quarentena restritiva em função da pandemia que assola o mundo. Está amparada em dois grandes processos agroecológicos/orgânicos, que são a utilização de biofertilizantes e rochagem (pós de rocha), sendo aqui denominados de “Biomineralizantes”. Essas duas estratégias bem utilizadas, contribuem de forma decisiva na composição dos sistemas agroecoprodutivos familiares, no contexto da fertilidade do solo e nutrição das plantas, impulsionando ganhos efetivos na produtividade e rentabilidade das suas unidades socioprodutivas, sem o uso, ou mínimo de uso de insumos externos.

Manual de Boas práticas para Criação de Caprinos e Ovinos

Com o fito de contribuir com as atividades de campo das Associações e dos ACRs – Agentes Comunitários Rurais, o Manual de Boas Práticas da Caprinovinocultura é um documento técnico e pedagógico para esclarecer dúvidas e como instrumento de complementação das atividades já desenvolvidas pela ATER junto às famílias participantes beneficiárias, nesse tempo de restrições ações presenciais e para além desse período da pandemia. O Manual, visa subsidiar ainda mais o melhoramento do manejo e das técnicas indispensáveis às criações de caprinos e de ovinos, pelas famílias participantes beneficiarias desse Projeto, favorecendo o aproveitamento dos potenciais dos agroecossistemas familiares e coletivos, visando otimizar o desempenho produtivo e a rentabilidade dessas atividades socioprodutivas.

Convivência com o Semiárido: Uma Jornada em Quadrinhos

Convivência com o Semiárido – Uma Jornada em Quadrinhos é uma produção da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e integra o conjunto de materiais didáticos destinados às famílias atendidas pelo Programa de Formação e Mobilização Social para a Convivência com o Semiárido: Uma Terra e Duas Águas (P1+2).

Impacto Social: Boas Práticas Inspiradoras do Terceiro Setor no Brasil

O terceiro setor no Brasil tem poucos espaços de visibilidade e de apresentar suas boas práticas. Foi pensando nisso que organizamos esta coletânea de artigos que pretendemos repetir de tempos em tempos com a finalidade de contribuir com uma forma para as organizações sociais poderem compartilhar suas experiências positivas.

Capa do Livro Desafios.png

Desafios da implementação dos Sistemas Municipais de Meio Ambiente

 

Os desafios para a implementação desses sistemas nos municípios são elencados nesta obra, a qual reúne uma coletânea de textos elaborados por promotores de Justiça e servidores do Ministério Público que figuram entre os mais gabaritados do país, bem como de representantes de importantes órgãos parceiros comprometidos incansavelmente com a defesa do meio ambiente. 

Licuri.png

Licuri – Boas práticas de manejo para o extrativismo sustentável

 

“Boas práticas de manejo para o extrativismo sustentável” é uma série de publicações voltadas a produtores agroextrativistas, organizações de base comunitária e instituições de pesquisa sobre boas práticas para o extrativismo. Esta cartilha disponibiliza informações sobre o licuri com a finalidade de contribuir para que o manejo seja feito de maneira sustentável, visando a manutenção da espécie e a continuidade das atividades de geração de renda.

                                                                                 

Cartilha Cidadania das Águas

 

A AGENDHA considera indispensável a Educação Agroecológica no trabalho de Assessoria Técnica e Extensão Rural e produziu a cartilha Cidadania das Águas, para colaborar com as oficinas e iniciativas do Projeto Mais Água, principalmente, nos momentos de intercâmbios e trocas de experiências entre famílias agricultoras, povos e comunidades tradicionais. Para organizar esta cartilha se utilizou também das práticas ecopedagógicas e freireanas com a finalidade precípua de subsidiar os trabalhos das oficinas, respeitando seus modos de fazer, as especificidades de cada comunidade, os materiais disponíveis, o tempo das atividades e das pessoas, assim como, para estruturar minimamente as etapas de Assessoria Técnica e Extensão Rural (ATER) de modo que, os principais pontos sejam lembrados, bem trabalhados e principalmente dialogados, compreendidos e aceitos pelas famílias participantes.                                                                                 

Capa Cartilha Agentes.jpg

Agentes das Cidadanias das Águas e a Convivência com o Semi-árido

 

Com a proposta de trabalhar as mazelas decorrentes dos períodos de estiagens e de secas prolongadas, o uso abusivo da água, do solo, dos agroquímicos e as relações sociais implicadas neste processo, as organizações não governamentais REDEH em parceria com a AGENDHA elaboraram um Projeto de Capacitação em Convivência com o Semiárido que foi realizado de julho de 2004 a julho de 2005. Os objetivos das ações propostas tiveram consonância com o Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf) tais como o “de contribuir para fortalecer a agricultura familiar e promover o desenvolvimento sustentável do meio rural, priorizando propostas inovadoras inseridas em processos de organização mais amplos, com potencialidade para serem reproduzidos nos âmbitos regional e nacional” e desta forma contou com o seu apoio.

                                                                          

Capa Bodega 3.png

Bodega Produtos Sustentáveis do Bioma Caatinga

A AGENDHA e seus parceiros institucionais, têm a satisfação de apresentar esta publicação rica de iniciativas socioambientais e seus produtos extraídos com respeito e reverência, das florestas das caatingas. Convidamos todas as pessoas para esta “festa naturá” e que possamos a cada dia melhorar nossas atitudes nos campos e nas cidades, comprando e consumindo responsavelmente, contribuindo para que a Caatinga e os demais biomas brasileiros possam ter suas sociobiodiversidades conservadas e utilizadas sustentavelmente.

Capa catilha fogoes.jpg

Fogões Geoagroecológicos

 

A AGENDHA compreende a importância milenar do uso da lenha como biocombustível renovável, para preparação de alimentos, na maioria dos casos em fogões rústicos, pouco eficientes e que liberam muita fumaça e resíduos. Globalmente é a fonte de energia mais utilizada para esse fim, por comunidades e povos mais pobres e excluídas, de todas as civilizações. É muito grande o consumo total anual de energia para preparar alimentos nas residências do nordeste brasileiro. Equivale a queimar 3.370.000 Toneladas Equivalentes de Petróleo (TEP), medida internacionalmente utilizada para calcular os Balanços Energéticos Nacionais, comparando-se as diferentes fontes de energia. A cartilha sobre Porque e Como Construir Fogões Geoagroecológicos, visa disseminar a importância e a forma de sua construção, utilização e manutenção. Que, associado ao manejo apropriado da lenha e a utilização de outros biocombustíveis vegetais do ambiente peridomiciliar, contribuem para a Convivência Sustentável com o Semiárido.