Estudos para implantação do sistema de esgotamento sanitário são iniciados em Chorrochó na Bahia

Nos próximos meses, a cidade de Chorrochó, na Bahia, vai passar por novo levantamento de dados financiado pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. Desta vez, o trabalho será a elaboração dos estudos de concepção, projetos básico e executivo para a implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) contemplando os povoados de Várzea da Ema, São José e Caraíbas.



A cidade é uma das quatro beneficiadas na bacia do São Francisco para a elaboração do estudo que vai subsidiar posteriormente a execução das obras, também financiadas pelo CBHSF. Na região do Submédio São Francisco, as visitas de campo começaram nesta quarta-feira (13), nos três povoados, a partir do povoado São José, comandadas pelas equipes de engenharia da empresa SEEO Engenharia e Consultoria LTDA, contratada pelo Comitê através da Agência Peixe Vivo, da Prefeitura de Chorrochó, Agência Peixe Vivo e CBHSF.

De acordo com informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), na área rural do município, em 2010 a maior parte dos domicílios utilizavam fossas rudimentares, cerca de 17,9%, seguida por domicílios cuja destinação do esgoto eram valas, o equivalente a 11,3% das residências. Ainda segundo o diagnóstico do Plano Municipal de Saneamento Básico de Chorrochó, financiado pelo CBHSF e entregue em 2018, as principais deficiências e carências identificadas no município foram o lançamento de esgoto a céu aberto nas áreas urbana e rural; locais sem atendimento de SES na área urbana e rede coletora parcialmente implantada na sede municipal, sem operação. Atualmente o tratamento do esgoto é feito de modo individual, por meio de fossas rudimentares.