Conselhos da mulher.png

Foi uma iniciativa socioeducativa para a Construção de 15 Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher nos municípios do entorno da geração e transmissão de energias da Chesf - Regional Paulo Afonso/BA. Este projeto contribui para que o Plano Nacional de Políticas para as Mulheres seja significativamente implementado nesta região, com vistas a assegurar políticas públicas e reduzir todos os tipos de violência contra a mulher, principalmente institucional, doméstica e estrutural.Esta iniciativa foi desenvolvida nos seguintes Municípios e Estados: Rodelas, Chorrochó, Glória, Macururé, Jeremoabo, Pedro Alexandre, Antas e Cícero Dantas (BA); Delmiro Gouveia, Olho D'Água do Casado e Piranhas (AL); São José do Belmonte, Petrolândia e Jatobá (PE) e Canindé do São Francisco (SE).

Frutificando nas Caatingas, tem como finalidade precípua fomentar e assegurar com iniciativas de conservação e utilização sustentável da sociobiodiversidade e dos demais recursos naturais, uma forte articulação interinstitucional das suas Cadeias de Valor dos Produtos do Umbu e Licuri a partir dos seus Arranjos Produtivos Locais, visando à melhoria das Comunidades Tradicionais de Paulo Afonso, Curaçá, Uauá, Canudos, Jeremoabo, Santa Brígida e Capim Grosso.

frutificando nas caatingas.jpg
ULTIMO PROJETO.jpg

Projeto Fogões Ecológicos: Melhoria da Eficiência Energética e Alimentar em Comunidades Quilombolas do município de Jeremoabo/BA | Projeto Fogões Geoagroecológicos: - Lenha - CO2 + O + H2O + VIDA | Ações para capacitação e acompanhamento técnico ecopedagógico de Comunidades Tradicionais e Povos Indígenas de cinco municípios do Estado da Bahia, visando a adoção e disseminação de estratégias e práticas voltadas para a ampliação da segurança e autonomia energética e alimentar – SEBRAE.

agenda21.jpg

A  AGENDHA 21 de Curaçá/BA (2002-2004): foi desenvolvida pela AGENDHA, com a Prefeitura Municipal de Curaçá e apoio do FNMA/MMA - Fundo Nacional de Meio Ambiente/Ministério do Meio Ambiente, no período de 2002 a 2004, sendo a primeira Agenda 21 Distrital do Brasil. Participaram deste processo mais de 1.037 pessoas, em especial famílias agricultoras, povos e comunidades tradicionais. Os quatro principais eixos deste documento público foram: utilização e gestão sustentável dos recursos naturais; agricultura sustentável; sustentabilidade urbana e infraestrutura e superação das desigualdades sociais, culminando na constituição da Comissão Tripartite da Comissão Municipal de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 21 de Curaçá.

 
 
 
 
Projeto bem diverso.jpg

O Projeto Bem-Diverso tem a finalidade de fortalecer o arcabouço de manejo e boas práticas em Sistemas Agroflorestais (SAF) e Produtos Florestais Não Madeireiros (PFNM), e o acesso ao mercado e ao financiamento por parte das populações tradicionais, e assim garantir a sustentabilidade das paisagens de uso múltiplo e sua importância para a conservação da biodiversidade.

 
cidadania das águas.jpg

O Projeto Agente da Cidadania das Águas (2004-2005) foi desenvolvido pela AGENDHA em parceria com a REDEH com apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário. Com a proposta de trabalhar as mazelas decorrentes dos períodos de estiagens e de secas prolongadas, o uso abusivo da água, do solo, dos agroquímicos e as relações sociais implicadas neste processo, as organizações não governamentais REDEH em parceria com a AGENDHA elaboraram um Projeto de Capacitação em Convivência com o Semiárido que foi realizado de julho de 2004 a julho de 2005. Os objetivos das ações propostas tiveram consonância com o Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf) tais como o “de contribuir para fortalecer a agricultura familiar e promover o desenvolvimento sustentável do

meio rural, priorizando propostas inovadoras inseridas em processos de organização mais amplos, com potencialidade para serem reproduzidos nos âmbitos regional e nacional”. Nesta parceria foram realizadas 37 oficinas que capacitaram 117 jovens agricultores dos povoados de Glória em Paulo Afonso (BA), Curaçá (BA) e de Delmiro Gouveia (AL) em Agentes da Cidadania das Águas.

 
Banner Florando as Caatingas SITE.jpg

Florando nas Caatingas: o tempo de transformar a vida das mulheres é agora, com apoio da Secretaria de Política para as Mulheres do Governo do Estado da Bahia para desenvolver atividades e iniciativas que possibilitem a defesa dos direitos das mulheres, implementando ações voltadas para a desconstrução de valores sexistas dominantes em nossa sociedade, atuando numa perspectiva transversal e interseccional, respeitando suas diferenças, com atenção especial àquelas que se encontram em situação de pobreza e/ou vulnerabilidade social. Contribuir para o empoderamento e autonomia de mulheres do Território Itaparica/BA, através de ciclos formativos que intensifiquem troca de saberes e vivências, assessorando-as tecnicamente e aportando investimentos para algumas delas incrementarem seus Quintais Produtivos Agroecológicos a fim de maximizar produção e a qualidade dos alimentos que expõem e comercializam na feira agroecológica de Paulo Afonso, na vizinhança e outras localidades, conferindo a elas a autoestima por prover seu sustento, fortalecer a organização e o trabalho em cooperação, resultando em condições efetivas e afetivas no combate a todos os tipos de violência, assim como o bem viver em seus agroecossistemas familiares, coletivos e comunitários. 

 
Conservação da caatinga.jpg

BRA/02/G31 – Demonstrações de Manejo Integrado de Ecossistemas e de Bacias Hidrográficas na Caatinga (carta de Acordo 05/47-00002166 (2005-2007) – Implementação de ações de comunicação e de capacitação voltadas para a promoção de sistemas de manejo florestal integrado sustentável de usos múltiplos para o desenvolvimento de iniciativas de econegócios de produtos florestais não madeireiros e para implementação das ações:

a) opções de manejo integrado testadas, demonstradas e adaptadas para os diferentes cenários socioambientais do Bioma Caatinga; 

b) Técnicas e práticas para aumentar a eficiência na transformação de madeira, demonstradas e adotadas pelos setores de produção de carvão, para indústrias siderúrgicas, cerâmica e gesso das APs do Sudoeste Baiano e da biorregião do Araripe, visando a sustentabilidade da matriz energética;

c) Três mosaicos de diferentes tipos de áreas protegidas (públicas e privadas) e usos sustentáveis dos recursos naturais criados como estratégia para a conservação da biodiversidade no nível da paisagem;

d) incentivos para o manejo integrado de Ecossistemas na Caatinga, criados e testados no nível do Bioma;

e) construção da capacidade institucional para o manejo integrado do Ecossistema da Caatinga;

f) sistematização dos conhecimentos para o aumento da adoção do manejo integrado de ecossistemas que contribuam para benefícios nacionais e globais.

 
Logomarca mais água.jpg

O Projeto Mais Água atual, contratos 248-249/2014, realiza formação e acompanhamento técnico para implementação de 422 Tecnologias Sociais de Acesso a Água, Cisterna Calçadão de 52 mil litros e Barreiro Trincheira Familiar, para captar e reservar água de chuva para atender a demanda de água de uma família para a produção de alimentos e dessedentação animal, prioritariamente nas condições estabelecidas no Projeto de Referência instituído por meio da Instrução Operacional MDS nº 02/2013 e nº 04/2013. Esse projeto foi apresentado a nível nacional “Expedição Água” no Programa “Como Será”, da Rede Globo.
Contribui para a consolidação da segurança e da autonomia hídrica, alimentar e nutricional de 876 famílias agricultoras dos municípios de Glória, Jeremoabo, Paulo Afonso, Rodelas e Santa Brígida (Arranjo 01), através da construção e do desenvolvimento de 822 estruturas hídricas diversificadas para captação, armazenamento e utilização sustentável da água pluvial; da realização de atividades de sensibilização e capacitação das famílias e do desenvolvimento de tecnologias sociais e práticas produtivas complementares, resultando em ações concretas de geração de renda e de superação da pobreza.

 
ISPN.png

Do Baru ao Caroá – ISPN e AGENDHA (2012-2015) - Este projeto tem como objetivo promover a conservação do Cerrado e da Caatinga e a melhoria da qualidade de vida das comunidades locais por meio do uso sustentável e comercialização dos produtos da sociobiodiversidade. O projeto promove a divulgação dos produtos da sociobiodiversidade para os consumidores por meio de campanha e apoia o fortalecimento das redes de comercialização Bodega da Caatinga e Central do Cerrado, contando com parceria com a AGENDHA, organização não governamental reconhecida por sua atuação socioambiental na Caatinga. Foram realizadas também capacitações para as comunidades apoiadas pelo PPP-ECOS para que estas estejam aptas a acessar os mercados institucionais. O projeto permite ainda dar continuidade à série de cartilhas “Boas práticas de manejo para o extrativismo sustentável”, incluindo novas espécies de interesse comercial do Cerrado e da Caatinga.

 
Novo.jpg

Produtos Sustentáveis da Sociobiodiversidade do Bioma Caatinga visa assessorar e apoiar o fortalecimento de 7 (sete) Associações e 1 (uma) Cooperativa de Comunidades Tradicionais Quilombolas, Agroextrativistas e da Agricultura Familiar do Bioma Caatinga na Bacia do São Francisco, que desenvolvem atividades socioprodutivas e ecoeconômicas a partir da utilização do Araçá, Caju, Jenipapo, Licuri, Mandacaru, Murici, Umbu e outras espécies da biodiversidade das Caatingas.

 

Nutre Nordeste: cujo trabalho alcançou 09 Capitais, 06 Municípios Metropolitanos e 339 municípios do Nordeste, com serviços de ATER - Assistência Técnica e Extensão Rural, junto aos Gestores Públicos da Alimentação Escolar e às Organizações Produtivas da Agricultura Familiar e dos Povos e Comunidades Tradicionais para inclusão dos gêneros alimentícios, incluindo os da sociobiodiversidade, vegetal e animal, no mercado institucional da Alimentação Escolar. Este Projeto tem como base a Lei 11.947/2009, com foco no artigo 14 que “determina a utilização de, no mínimo, 30% dos recursos repassados pelo FNDE para alimentação escolar, na compra de produtos da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural ou de suas organizações, priorizando os assentamentos de reforma agrária, as comunidades tradicionais indígenas e comunidades quilombolas”.

 
ater agroecologica.jpg

Ater Agroecológica - Prestar Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) Agroecológica a 480 famílias de Povos e Comunidades Tradicionais e da Agricultura Familiar localizadas nos municípios de Abaré, Chorrochó, Glória, Macururé, Paulo Afonso e Rodelas, com o objetivo de apoiar a produção familiar de alimentos para a segurança alimentar e nutricional, acesso a mercados, organização social e transição agroecológica, por meio de atividades individuais, grupais e comunitárias, compreendendo o planejamento, a execução e a avaliação das atividades.

 
Nutre_mais_gestão.png

Contribuir para a consolidação da segurança e da autonomia hídrica, alimentar e nutricional de 876 famílias agricultoras dos municípios de Glória, Jeremoabo, Paulo Afonso, Rodelas e Santa Brígida (Arranjo 01), através da construção e do desenvolvimento de 822 estruturas hídricas diversificadas para captação, armazenamento e utilização sustentável da água pluvial; da realização de atividades de sensibilização e capacitação das famílias e do desenvolvimento de tecnologias sociais e práticas produtivas complementares, resultando em ações concretas de geração de renda e de superação da pobreza.