Plantas

O PROJETO

Sobre o Projeto

As famílias e suas Organizações precisam de uma ATER confiável e audaz, para com essa confiabilidade adotarem a transição e práticas agroecológicas que possam prover suas vidas com alimentos saudáveis e renda com base nos princípios da economia justa e solidária. A Assistência Técnica e Extensão Rural para a Promoção da Agroecologia nas Unidades Produtivas Familiares, será realizada pela AGENDHA que possui vasta experiência técnica no âmbito das relações agroecológicas, socioambientais, socioprodutivas e de gênero, desenvolvendo tecnologias sociais, segurança e autonomia alimentar e nutricional, hídrica e energética (renovável) acumulada ao longo dos 18 anos de atuação.

 

Esta proposta visa incluir 540 famílias agricultoras familiares, povos originários e comunidades tradicionais, distribuídas nos Territórios de Identidade Itaparica [Abaré, Chorrochó, Glória, Macururé, Paulo Afonso e Rodelas] e, Semiárido Nordeste II [Jeremoabo e Santa Brígida] com ações estarão voltadas para atender as vocações agropecuárias.

Sendo alguns municípios ribeirinhos, certamente as “atividades selecionáveis” demandarão iniciativas aquícolas associativa da pesca artesanal (ampliando a agroecologia em ambientes aquáticos), inclusive utilizando-se dos barreiros trincheira para o povoamento com espécies nativas e adaptáveisa exemplo do Tambaqui (onívora); Curimatã (nativa e“lixeira”) e Carpa Prateada(fitoplantófaga), provendo as famílias de complemento alimentar de proteína animal.

 
FLUXO DO PROCESSO DE EXECUÇÃO

Objetivos

Entendemos que todo processo metodológico que se preze, bebe de várias fontes e faz a alquimia dos diversos saberes e experiências, mas deve ter uma base que recebe fortalecida todas estas construções complementares, inovadoras e enriquecedoras, neste caso a Metodologia de “raízes” agroecológicas respeitando suas particularidades e sua diversidade produtiva e concomitantemente incluir outros modos de realizar, assegurando os princípios e os objetivos do projeto.

  • Estimular e assessorar a construção e fortalecimento de bancos e redes de intercâmbios de sementes; pressuposto que a autonomia das famílias reside na capacidade de assegurar seu patrimônio genético e a adaptabilidade de seus cultivos aos biomas e suas condições edafoclimáticas;

  • Promover a gestão do conhecimento em redes locais de inovação promovendo o diálogo e a construção de saberes, preceitos do paradigma agroecológico;

  • Promover e assessorar o fortalecimento e criação de dinâmicas de redes de mulheres e jovens;

  • Articular o acesso a fomento e a fundos rotativos que permitam a transição agroecológica, bem como a aquisição de equipamentos de gestão coletiva;

  • Promover e incentivar os mecanismos participativos de garantia da qualidade agroecológica.

ARRANJO INSTITUCIONAL

ARTICULADORES LOCAIS

Logo SEMAF.png
Logo SETAF.png

APOIADOR

INSTITUCIONAL

Parceiros Ater.png
CET BAHIA 2.jpg
logomarca_territorio_itaparica_2016-1.jp
LOGO FORUM SEMIARIDO VERTICAL PNG.png

COLEGIADOS 

TERRITORIAIS

ASA.jpg
Fórum Baiano de Combate aos Agrotóxicos

Beneficiários

São beneficiários desta Chamada os/as Agricultores/as Familiares detentores de Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), que poderão ser representados por qualquer um dos integrantes da família, desde que maior que 16 anos, portador de CPF e que seja identificado durante a atividade de Caracterização do Agroecossistema Familiar. 

O Projeto trabalha com 08 municípios nos Territórios de Identidade Itaparica/BA e Semiárido Nordeste II. Os agricultores/as cadastrados podem participar das diversas atividades de assistência técnica e capacitação. Para participar do projeto, a atividade rural deve cumprir os limites definidos pela Lei Federal nº 11.326, de 24 de julho de 2006, de acordo com os seguintes requisitos:

I - Não detenha, a qualquer título, área maior que 4 (quatro) módulos fiscais;

II - Utilize predominantemente mão-de-obra da própria família nas atividades econômicas do seu estabelecimento ou empreendimento;

III - Tenha percentual mínimo da renda familiar originada de atividades econômicas do seu estabelecimento ou empreendimento, na forma definida pelo Poder Executivo;

IV - Dirija seu estabelecimento ou empreendimento com sua família.

 

Informações Gerais

METAS E EXECUÇÃO
 
Famílias.png
Árvore.png
Planeta.png
Calendário.png

03

ANOS

540 

02

FAMÍLIAS

AGRICULTORAS

TERRITÓRIOS DE IDENTIDADE

08

MUNICÍPIOS ATENDIDOS

ATIVIDADES PRÉ-FIXADAS
Prancheta.png

24

DIAGNÓSTICOS 

COMUNITÁRIOS PARTICIPATIVOS

Caixote.png

54

CARACTERIZAÇÃO DO

AGROECOSSISTEMA FAMILIAR

Casa.png

08

REUNIÕES DE ARTICULAÇÕES

Formação.png

21

ATIVIDADES COLETIVAS

Seminário.png

24

Oficina.png

01

SEMINÁRIOS DE

PLANEJAMENTO COMUNITÁRIO

OFICINA ESTADUAL DE

NIVELAMENTO METODOLÓGICO

RESULTADOS ESPERADOS
  • Promoção da soberania e segurança alimentar e nutricional das famílias assessoradas pela Ater Agroecológica;

  • Maior oferta de produtos  agroecológicos nos municípios do lote (mercados, feiras livres, escolas entre outros);

  • Subsídios para elaboração de plano de ação sustentável com a reorganização de processos ecológicos junto aos agroecossistemas familiares;

  • Subsídio para elaboração de planejamento estratégico de metodologias e ações de gestão para os sistemas agroecológicos familiares

  • Mapeamento de todas as organizações de mulheres e jovens, bem como o foco de atuação;

  • Planejamento das ações focadas na superação das limitações, potencializando a autonomia produtiva, econômica e social das famílias assessoradas;

  • Organizações da agricultura familiar fortalecidas com capacidade de gestão e ampliação de suas ações, acessando projetos, e gerando subsídios para ampliação da produção agroecológica de seus membros; 

  • Aumento de Organizações da agricultura familiar com base agroecológica atuando nos municípios do lote; 

  • Técnicos e famílias detendo maiores conhecimentos da produção agroecológica, seus benefícios e importância nos municípios;

  • Aumento na produção e diversificação de cultivos e criatórios de base agroecológica nos munícipios do lote;

  • Comercialização dos produtos agroecológicos juntos aos editais de compras institucionais nos municípios do lote;

  • Participação de mais famílias na feira agroecológica de Paulo Afonso e Implantação de feiras agroecológicas nos demais  municípios do lote;

  • Ampliação da comercialização dos produtos dos agricultores assessorados através das redes de comercialização;

  • Promover o controle social da produção agroecológica dos municípios;

  • Ampliação da oferta de espaços que favoreçam o aumento do tempo disponível das mulheres, promovendo a seu protagonismo e autonomia; 

  • Ampliar a autonomia das famílias na capacidade de assegurar seu patrimônio genético e diversidade de sementes adaptadas;

  • Visibilidade da produção agroecológica de todos os municípios do lote assessorados.

Área de Abrangência

TERRITÓRIOS DE IDENTIDADE

Como todos os territórios, ambos possuem suas riquezas, mas também suas adversidades, principalmente a escassez qualitativa da água que requerem políticas públicas estruturantes e sustentáveis, dentre elas, tecnologias sociais de captação e armazenamento de água para o consumo humano, produtivo e animal, ATER Agroecológica e ciclos formativos. Com isto e outras demandas apresentadas nos Planos Territoriais de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário – PTDRS será possível minimizar os passivos socioambientais, secas e muitos débitos históricos para com suas famílias agricultoras, povos e comunidades tradicionais, assim como de famílias assentadas e reassentadas. Esta proposta inclui municípios de dois Territórios: Itaparica/BA com 12.343 km² e, Semiárido Nordeste II, abrangendo 15.982 km², ambos do semiárido brasileiro.

TERRITÓRIO ITAPARICA/BA

O Território de Identidade Itaparica/BA, possui 167.118 habitantes, sendo 81.351 homens e 85.767 mulheres, estando 29,8% das famílias no meio rural. De toda sua população 16,6% vive em extrema pobreza; IDH 0,613 é abaixo do desejável e com exceção do município de Paulo Afonso, a economia é altamente fragilizada. Grande parte deste é banhada pelo Rio São Francisco e ainda que esteja às suas margens, a maioria das famílias agricultoras, povos e comunidades tradicionais não têm acesso à água e a predominância de cultivos e criatórios acontecem em área de sequeiro. Destaca-se que as áreas irrigadas, Rodelas e Glória, são de monocultura do coco, cebola, banana e melancia com uso intensivo de agrotóxico. 

TERRITÓRIO SEMIÁRIDO NORDESTE II

O Território de Identidade Semiárido Nordeste II localiza-se no Nordeste Baiano e segundo estimativa do IBGE (2017) possui 442.050 habitantes, sendo constituído por 49,9% da população do sexo feminino e 50,1% do sexo masculino. Predominantemente rural, visto que apenas 44,9% de seus habitantes residem em áreas urbanas. Em 2010 a proporção da população em extrema pobreza no TI Semiárido Nordeste II era de 25%, maior que a proporção apresentada pelo estado da Bahia, de 15%.  A análise dos trabalhadores na produção para o próprio consumo indica que 6,6% da População Economicamente Ativa (PEA) encontrava-se nessa condição, com destaque para os municípios de Euclides da Cunha e Jeremoabo, com 11,7% e 11,6%, respectivamente. Jeremoabo também é representativo na criação de bovinos 13,0% e caprinos 36,6%. 

 

Forma de Atuação

AGENDHA
Sócio Fundação
Coordenação Geral
Presidência
 
Coordenação Técnica
ATER AGROECOLOGIA
Maurício Aroucha
Bruna Vieira
Maurício.png
Coordenação de Campo
Bruna.png
Coordenação Geral
Equipe de Campo
Comunicação Social
Daniel.png
Orácio.png
Cris.png
Carol.png
Osmário Daniel
José Orácio
Josefa Cristina
Ana Carolina
Sheila.png
Sheylla Gomes
Antonio.png
Antônio Carlos
Emily.png
Emily Riany
Cartaz Ater Agroecologia.png
Bruna Cordeiro