Projeto ATER Agroecologia apresenta ações desenvolvidas em 2021 e desafios para o próximo ano

Realizado pela AGENDHA, em parceria com a SDR (Secretaria de Desenvolvimento Humano e Agroecologia), a BAHIATER (Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural) e o SETAF (Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar), o projeto de Assistência Técnica e Extensão Rural, ATER Agroecologia, que promove a agricultura familiar no semiárido, planejou, avaliou e encerrou o primeiro ciclo de atividades, que caracteriza um ano de desenvolvimento das ações nos Territórios Itaparica e Semiárido NE II.

Caracterização do Agroecossistema, Clerinei e Samuel, Rompe Gibão - Jeremoabo

Com o objetivo de qualificar os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural para melhorar a vida dos produtores rurais, povos e comunidades tradicionais, levando alternativas para o semiárido e gerando renda, o ATER Agroecologia realizou nas Unidades de Produção Familiar (UPF) as atividades de articulação, mobilização, diagnóstico, caracterização e planejamento comunitário, além de visitas, plantio de mudas, feiras agroecológicas, atualização de DAPs, entre outros.


As famílias e suas organizações precisam de uma ATER confiável e audaz, para que assim possam adotar a transição e as práticas agroecológicas de forma a prover suas vidas com alimentos saudáveis e renda, tendo como referencial os princípios da economia justa e solidária. Nesse sentido, ressalta-se o papel da AGENDHA na prestação de serviços de assistência técnica e extensão rural, pública e gratuita, em parceria com o Governo do Estado da Bahia, com vistas a criar condições para a segurança e autonomia alimentar, hídrica e energética renovável; geração de renda e bem-viver, incidindo em algumas políticas públicas e no controle social de algumas delas.


A ONG AGENDHA é a instituição de referência nos Territórios Itaparica e Semiárido NE II, para a execução o Projeto ATER Agroecologia, por meio da chamada pública nº 01/2018, da Secretaria de Desenvolvimento Rural – SDR e, neste contexto, atua em oito municípios: Abaré, Chorrochó, Rodelas, Paulo Afonso, Macururé, Glória, Santa Brígida e Jeremoabo, nos quais estão sendo acompanhadas 540 famílias de agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais.


Durante esse primeiro ano de execução, que iniciou em junho de 2020 e encerra em dezembro de 2021, foram desenvolvidas atividades com o objetivo de apresentar e definir as estratégias de ação junto aos articuladores locais, mobilização e seleção das famílias para a construção de saberes e práticas agroecológicas, elaboração do Plano de Trabalho junto às famílias e seus coletivos organizacionais, Sistematização e Análise das informações geradas pelas Unidades Produtivas Familiares e a construção de um Plano de Ação que identificou as potencialidades produtivas, das diferentes tipologias dos agroecossistemas, os desafios e as aspirações das famílias e da coletividade.

Diagnóstico Comunitário, Povo Atikum, Rodelas

ABRANGÊNCIA DO PROJETO


A região de abrangência do projeto ATER Agroecologia - 01/2018, para o lote 09, integra dois Territórios de Identidade, Itaparica e Semiárido NE II. Os/as beneficiários/as receberão os serviços de ATER, previstos nesta Chamada Pública, durante 36 (trinta e seis) meses, tendo o contrato um período de vigência de 40 (quarenta) meses, podendo ser prorrogado, nos termos da Lei Estadual nº 12.372, de 23 de dezembro de 2011, e do art. 141 da Lei no