Plantio de sementes crioulas mobiliza famílias agricultoras do município de Caém

Famílias agricultoras do município de Caém organizaram mutirão para realizar plantio coletivo de sementes crioulas e/ou adaptadas em Sistema Agrícola Resiliente (SAR). A instalação da tecnologia social tem como principal objetivo preservar as espécies nativas da região, com o cultivo coletivo de sementes guardadas pelas famílias agricultoras, ao longo do tempo, de forma agroecológica e livres de transgênicos, nos quintais e roçados de suas propriedades. A iniciativa é do Governo do Estado, por meio do projeto Pró-Semiárido, no âmbito da ação Sementes Crioulas.

O SAR foi preparado com a qualificação do solo e a divisão do terreno em quatro setores, onde foram plantadas forrageiras como palma, gliricídia, moringa, sorgo e espécies leguminosas, com grandes potenciais nutritivos, a exemplo da crotolária, do feijão de porco e andu. O Sistema possibilita a irrigação, diferente dos cultivos em sequeiro, mais comuns na região.

O engenheiro agrônomo e coordenador da ação Sementes Crioulas nos Territórios Piemonte da Diamantina e Bacia do Jacuípe, Jeferson Marques, explica. “Essa proposta visa trazer estratégias ao agricultor/a de sequeiro, para que eles/as possam experimentar desses arranjos produtivos nas épocas chuvosas”.

Ainda segundo Marques, o uso de plantas lenhosas como gliricídia e moringa, consorciadas com a palma forrageira, vai aumentar o banco de proteína nas áreas, incorporar nitrogênio e favorecer maior cobertura para a proteção e nutrição do solo. “Nosso objetivo é mostrar outras possibilidades de cultivo aos camponeses, para que eles possam experimentar e avaliar essas propostas”.

O agricultor Edmilson Anunciação aprovou a ação. “A ideia é boa demais, porque um dos problemas que tem nessa terra é porque ela tem muita área, quando molha logo seca e as plantas não avançam. Com essa nova forma, com o plantio e o que foi passado para a gente, agora vai ter mais folhas em cima da terra e isso vai ajudar as plantas a se desenvolverem melhor. Estamos com muita esperança, que vamos ter bom resultado agora”.

O dia de plantio e estudos envolveu mantenedores/as da comunidade de Micaela onde está instalado o SAR, além de agricultores e agricultoras de localidades vizinhas, técnicos/as da Cooperativa de Consultoria, Pesquisa e Serviços de Apoio ao Desenvolvimento Rural Sustentável (Coopeser) e do projeto Sementes Crioulas. “Além dos benefícios para a preservação do bioma, as atividades em torno do SAR têm valorizado as guardiães e os guardiões de sementes da região, estimulado a preservação e troca das espécies, o trabalho coletivo e, com isso, a replicação de saberes e tradições”, assinala a coordenadora local do Pró-Semiárido, Rejane Maia.

Na microrregião de Jacobina e Senhor do Bonfim, o Governo do Estado irá instalar seis Sistemas Agrícolas Resilientes, por meio do Pró-Semiárido, projeto voltado ao combate à pobreza rural, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e cofinanciado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).


Publicado originalmente por: SDR em: 22/11/2021.

0 visualização0 comentário