Governo do Estado lança o Plano Estadual de Convivência com o Semiárido

O Governador do Estado da Bahia, Rui Costa, lança com a presença da Presidenta do Fórum Estadual de Convivência com o Semiárido, Edvalda Aroucha (AGENDHA), o Plano Estadual de Convivência com o Semiárido. Importante para o Estado e principalmente para os 279 municípios do semiárido baiano.


O Plano foi construído com a participação das Organizações da Sociedade Civil, Movimentos Sociais, Fóruns, Articulações, Redes, Conselhos Estaduais, Colegiados Territoriais, Universidades e com representação de todas Secretarias do Governo do Estado.


O Fórum Estadual de Convivência com o Semiárido, criado por meio da Lei n° 13.572, de 30 de agosto de 2016, vinculado à Casa Civil, com funções propositiva, consultiva e de acompanhamento da Política Estadual de Convivência com o Semiárido.


Tem como missão de estabelecer interação e diálogo permanentes com os colegiados que o compõem e seus demais representantes, com o objetivo de ampliar a articulação e garantir a transversalidade; promover a articulação entre as instituições que compõem o Sistema Estadual de Convivência com o Semiárido; contribuir para a definição das prioridades do Plano Estadual de Convivência com o Semiárido e suas revisões, considerando as proposições das conferências estaduais setoriais que tratem das questões relativas ao Semiárido; acompanhar e avaliar a execução da Política Estadual de Convivência com o Semiárido e do Plano Estadual de Convivência com o Semiárido, formulando recomendações para aprimorar sua intersetorialidade e transversalidade; receber as recomendações e demandas provenientes dos entes que o compõem e dos demais entes do Sistema Estadual de Convivência com o Semiárido.


“O Governo do Estado da Bahia, como pioneiro de um Plano desta dimensão, deve certamente se tornar uma referência para outros Estados e para o Brasil, pois mais que nunca, é momento de se discutir com muita determinação sobre resiliências às mudanças climáticas, a crise alimentar e hídrica. Somente discutindo e realizando políticas públicas profundas e estruturantes, conseguiremos com que as pessoas do campo e da cidade possam melhorar a qualidade de vida através do bem viver, com segurança alimentar, hídrica e energética renovável. Estou em nome de todos os coletivos que construíram este Plano, agradecida e muito feliz, pois o semiárido brasileiro e especialmente o baiano, é um dos melhores lugares do mundo pra se viver”, disse Edvalda Aroucha.



3 visualizações0 comentário