Feira Baiana da Agricultura Familiar foi um sucesso e gera renda para 200 associações e cooperativas

Um sucesso! Este é o resultado da 12ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, que aconteceu de 15 a 19 de dezembro, pela primeira vez no Parque Costa Azul, em Salvador. O evento foi aprovado pelo público e gerou renda para o interior do estado. Foram mais de R$ 1,7 milhão injetados na receita de cerca de 200 associações e cooperativas, de todos os Territórios de Identidade, que participaram do evento.



Para o titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Josias Gomes, foi um avanço muito grande. "Um desafio realizar a Feira, pela primeira vez independente, em um novo espaço, durante a pandemia. Se configura um quadro emblemático. Esses desafios foram vencidos e realizamos uma Feira que vai ficar na história da agricultura familiar baiana. Pessoas que nunca tiveram contato com esse segmento passaram a ter e deu grande visibilidade".


A Feira superou todas as expectativas dos organizadores e expositores, e foi muito prestigiada por todos desde o início. Para o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Wilson Dias, a Feira foi um ponto de encontro mais efetivo com a população de Salvador. “Nas edições anteriores, recebíamos muitos visitantes, mas esta edição foi extraordinária. Os estandes e a praça de Gastronomia sempre muito procurados e sentimos na população aquele clima de família visitando toda a Feira e conhecendo os produtos e os agricultores, para saber a origem dos produtos. Temos um balanço muito positivo. As organizações estão muito satisfeitas e entusiasmadas para a 13ª edição Feira Baiana da Agricultura Familiar, no Parque Costa Azul, que foi uma conquista e um encontro mais efetivo com a população de Salvador".


O vice-presidente da União das Cooperativas e Associações da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Estado da Bahia (Unicafes), Ícaro Renê, afirmou que essa edição superou as expectativas de comercialização. "Os empreendimentos pensavam que com a pandemia, a retomada das vendas dos produtos seria devagar, mas surpreendeu. As vendas foram altíssimas nos estandes. Os Territórios estão felizes com a comercialização. A maioria das cooperativas acabaram seus estoques. Estamos felizes em saber que a Feira proporcionou grandes negócios para as organizações".



Os iogurtes de umbu, licuri e café da Cooperativa de Produção Agropecuária de Giló e região (Coopag), que são sempre a sensação das feiras, tiveram grande destaque nas vendas. Para o diretor comercial da cooperativa, Fred Jordão, a participação da cooperativa na Feira foi surpreendente. "Tivemos um volume de vendas acima do esperado. Trouxemos R$60 mil em mercadorias e já vendemos quase tudo. Isso tem impacto no nosso trabalho, porque fortalecemos a base produtiva lá no campo, principalmente, nesse momento, que choveu no Sertão e os produtores estão a todo vapor na produção do leite".