Esforço do Estado em debater divisão sexual do trabalho é ressaltado durante seminário virtual

A campanha pela divisão justa do trabalho doméstico e o combate à violência contra a mulher foram pautas-chave do debate que aconteceu na tarde do último dia 28, durante o webinário “Pelo bem-viver: com divisão justa do trabalho doméstico e sem violência!”. A ação realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e transmitida via Canal SDRBahia, no Youtube, mobilizou dezenas de pessoas em torno da discussão e foi o evento de culminância da disseminação da Campanha, junto aos diversos setores que compõem a Secretaria.



O Secretário de Desenvolvimento Rural, Josias Gomes, participou da mesa de abertura do evento virtual e ressaltou a importância de levar o debate para outras instâncias: “Nós que cuidamos deste segmento na Bahia, que é a agricultura familiar, não poderíamos deixar de considerar como justa esta pauta que foi levantada, como um tema importantíssimo. Qualquer que seja o debate que seja referente a estas questões, nós estamos muito abertos. Esperamos que a discussão seja pautada com o propósito de sairmos deste universo para atingir outros segmentos, outros setores, pessoas que pensam inversamente que nós, mas que estejam dispostas a nos ouvir”.


Além de Josias Gomes, a mesa contou ainda com a participação da coordenadora executiva da Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), Camilla Batista; a diretora de Inovação e Sustentabilidade da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater/SDR), Maria Auxiliadora; Jaci Serrinha do Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais (MMTR) e Guiomar de Sousa do Movimento de Mulheres Camponesas (MMC).


Para a professora, membro do Grupo de Trabalho (GT) de Gênero da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) e da Coordenação da Campanha Divisão Justa do Trabalho Doméstico, Laetícia Jalil, é preciso contribuir para que mais mulheres ocupem espaços de poder, para que a realidade seja transformada:


“O tema da mesa me instigou muito, porque vocês começam com o bem-viver e nós precisamos discutir o bem-viver não só como um conceito, mas como uma ação prática. A gente não pode pensar que o bem-viver tem que ser só para as mulheres, tem que ser bem-viver a partir desta mudança significativa nas relações de poder”.


Sarah Luiza que também faz parte GT de Gênero da ANA e da Coordenação da Campanha, que esteve junto com Laeticia Jalil no painel principal do evento, ressaltou a importância da participação das mulheres em todos os espaços: “Estamos encantadas com a ideia de fazer com que esta reflexão chegue ao máximo de pessoas possíveis. Uma coisa que a gente tem visto aqui e que cada vez mais se reforça é que quanto mais mulheres a gente tem nestes espaços de decisão política, mais estas discussões estão conseguindo entrar no âmbito do Estado, na discussão de políticas públicas”.


Este foi o quinto evento online realizado, no mês de maio, junto aos setores da SDR que trazem à tona este debate no Estado. A Campanha pela Divisão Justa do Trabalho Doméstico é uma iniciativa da Rede Feminismo e Agroecologia do Nordeste e GT Mulheres da ANA, em parceria com diversas organizações da sociedade civil e movimentos sociais de mulheres. 


Publicada originalmente por: SDR em 31/05/2021