AGENDHA fomenta diálogo para o Ater Agroecologia juntos aos parceiros locais

De 15 a 17 de setembro, a AGENDHA realizou os encontros de articulação com os parceiros locais do Projeto Ater Agroecologia, Chamada ATER/SDR/BAHIATER nº 001/2018. As reuniões aconteceram por videoconferências na Plataforma Google Meet, nos municípios de Santa Brígida (Semiárido Nordeste II), Glória e Paulo Afonso (Itaparica) e, tiveram como objetivo principal traçar o acordo institucional para a realização das atividades tendo em curso o processo de execução.

Foto: Acervo AGENDHA

Estiveram presentes, além da Coordenação e da Equipe Técnica do Projeto, a Coordenadora do Território Itaparica e Membro do Grupo de Trabalho Operacional (GTO) do Ater Agroecologia, Edvalda Aroucha, a Coordenadora do Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar - SETAF/BAHIATER - Eadley Williana, o Agente de Desenvolvimento Territorial – ADT/SEPLAN – Marciel Pereira da Silva, o Subcoordenador do SETAF/Itaparica - André Farias Faustino, a Presidente da AGENDHA, Glaide Pereira-Silva, o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente do Município de Glória - Paulinho Braz, o Engenheiro Agrônomo - Ailton - representante da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Santa Brígida, a Extensionista Rural da COOPERLAD (Cooperativa de Produção da Agricultura Familiar da Comunidade de Lagoa de Dentro e Região), Tarcísia Souza, além de ACRs (Agentes Comunitários Rurais), Dirigentes das Associações e Agricultores Familiares.

A presidente da AGENDHA, Glaide Pereira-Silva, iniciou a reunião colocando à disposição todo o conhecimento e currículo da entidade, que possui 17 anos de atuação e credenciamento como instituição de ATER (Assistência Técnica e Extensão Rural):


“Contem comigo na condição de presidente da AGENDHA, por que a gente faz o que pode. Sigamos na luta que um dia, a gente consegue atingir nosso objetivo principal, que é viver bem, viver com saúde e felicidade, por que ninguém tem pretensão de ser milionário, mas viver bem todo mundo quer, é um direito, e é legítimo e nós conseguiremos isso. Que a gente continue assim, firme, forte, na fé, confiando na providência divina que ela não falha.”

Edvalda Aroucha – Coordenadora do Território Itaparica/Membro do GTO Ater Agroecologia, ressaltou a importância de haver união entre os órgãos implementadores, para que não haja mais retrocessos nas políticas públicas que já foram conquistadas pelo voto e, pelo poder das articulações de grupos e movimentos sociais:


“Estamos na luta pelo implemento e a volta mais efetiva do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos, que os agricultores, já tiveram a oportunidade de participar, vendendo sua produção. Outra luta que estamos iniciando e fortalecendo, é que essa compra da agricultura familiar continue, mesmo no período de pandemia. Com as aulas a distância, o acesso a alimentação escolar foi garantido pelo Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Educação, todavia, os estudantes tiveram que receber o vale nas grandes redes de supermercados. Só que nós continuamos lutando para que essas compras sejam da Agricultura Familiar, que mesmo que ainda existam as aulas a distância, nós estamos lutando para que essas empresas que, garantem uma logística maior para a entrega da alimentação escolar, que elas sejam obrigadas a comprar do agricultor e da agricultora familiar daquele município ou região”.

A vontade de Edejane Araújo Nascimento é aumentar sua produção para atender a uma demanda por ovos caipiras que existe na região. Ela é representante da AMPOC – Associação Comunitária de Moradores do Povoado Olho D’Água dos Coelhos, que fica localizada no Município de Glória/BA. Foi fundada em 1995 e, entre os diversos objetivos, destaca-se o fortalecimento da cadeia produtiva da avicultura. Em 21 anos de atuação, a entidade já recebeu Cisternas de Produção, Quintais Produtivos, Palma Forrageira, mas a criação de galinha e a produção de ovos caipiras foi se fortalecendo e hoje em dia possuem clientela garantida.

“A cada dia é uma aprendizagem nova, a gente tá produzindo, não muitos, mas estamos começando a produzir, também assim, não falta pra vender, se a gente tivesse 200 dúzias de ovos, nós tínhamos como já vender hoje. E estamos aí na luta, devagarzinho, vamos conseguir, se Deus quiser!” Edejane Araújo Nascimento - AMPOC/Glória/BA.

O Secretário de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura de Glória/BA – Paulinho Braz, ressaltou a importância de fomentar o aumento da produção orgânica nos municípios:

“Muito importante essa parte da agricultura orgânica, vender esses produtos, como é o caso da Associação de Olhos D’Água dos Coelhos. Aqui no município nós temos duas hortas comunitárias também que estão iniciando uma transição ecológica. Atualmente, as pessoas estão mais conscientes e dando maior preferência a produção sem veneno. Deixando de comprar produtos com agrotóxicos, para comprar produtos orgânicos por que são mais saudáveis e, temos orgulho do município de Glória, nós estamos felizes por isso, por acompanhar essa mudança no hábito alimentar.

Tecendo Caminhos

O ADT do Território Itaparica, Marciel Pereira Silva, firmou o compromisso de participar das atividades, além de contribuir com possíveis articulações, tendo em vista sua experiência com entidades da região. Também avaliou como positiva esse momento de diálogo com os parceiros locais do Ater Agroecologia.

Foto Acervo AGENDHA
“Nós estamos acompanhando o processo de trabalho para o início do Projeto Ater Agroecologia, e nosso apoio se dará na medida que se desenrole as ações e aumente nosso conhecimento sobre o Projeto, dessa forma, poderemos ter clareza, de que caminhos trilhar, de forma que nosso trabalho possa gerar resultado nas compras. Eu vi que se trata de um projeto de 40 meses, então, para o território, eu acho que é um grande avanço, ter uma organização do porte, história e experiência da AGENDHA na sua execução.

O que de imediato eu consigo enxergar é, vendo as apresentações que eu acompanhei hoje e, nos outros municípios, a gente pode atuar diretamente na etapa do Diagnóstico da Unidade Produtiva Familiar, pela nossa relação com diversas organizações produtivas que se encaixam nesse perfil, eu, então, posso contribuir com esse trabalho de articulação e de diálogo. Esse projeto, representa um ganho para o Território, por que agora nós podemos potencializar os resultados desse processo de investimento e financiamento público para os Agricultores Familiares da nossa região”. Marciel Pereira (ADT – Paulo Afonso/BA).

A Coordenadora Eadley Williana (SETAF/BAHIATER) elogiou o trabalho de Ater da AGENDHA e, alertou para a importância da participação dos Agricultores Familiares ser imprescindível para a qualificação da proposta. Lembrou da abertura da inscrição para o Garantia Safra em tempos de pandemia será garantido pelo Governo do Estado e se colocou à disposição do Projeto:


“Quero dizer que como representante do SETAF/BAHIATER, a gente está de braços abertos, vamos focar nas articulações, buscar sempre fazer o melhor. Eu fico muito feliz em ver essas pessoas que são contempladas pelos projetos, participando e interagindo, por que o projeto só acontece com a participação deles, a gente fica na parte administrativa, mas só acontece de forma efetiva se houver a participação dos agricultores, sua interação. E, quero pedir que eles aproveitem esse projeto, enquanto a AGENDHA desenvolve esse trabalho brilhante, focado, eu vejo o empenho dessa entidade e a seriedade que empenham para ajudar as pessoas que vivem e que produzem na zona rural.
Foto: Acervo AGENDHA

Avaliação Participativa

Foto: Ater Agroecologia

Os agricultores familiares presentes, avaliaram como positiva esse momento, também colocando a necessidade de desenvolver mais projetos de assistência técnica e extensão rural nos seus Territórios de Identidade, tendo em vista a riqueza do Bioma Caatinga e os desafios de se viver na região do semiárido. Além disso, as famílias agricultoras colocaram a vontade de se qualificar para potencializar os conhecimentos e as práticas de forma a abrir novos mercados para a produção familiar agroecológica.

“Como sempre as reuniões da AGENDHA são bastante proveitosas, a gente já tem um casamento ao longo de mais de oito anos, então é sempre um prazer, estar participando e, vocês sempre trazem muitos conhecimentos que vem a agregar valores a nossa produção, ao nosso dia a dia no campo e na nossa lida. Somos parceiros, e estamos na luta com vocês.” Ivaneide Silva (ADPPR - Associação do Desenvolvimento de Pequeno Produtores Rurais do Sítio do Lúcio) Povoado Sítio do Lúcio – Paulo Afonso/BA.

“Foi muito proveitoso conhecer a AGENDHA, quem tem tudo de bom para nos ensinar, e é como eu já falei, nós somos os alunos, nós precisamos dessas ferramentas que são esses instrutores, que nós temos aí na AGENDHA, tudo afiado e preparado para nos ensinar. Nós estamos aqui no campo, sempre de braços abertos, esperando o que vier da AGENDHA, tudo de bom para vocês todos, foi muito maravilhoso e, esperamos continuar juntos.” José Ailton da Silva, Agricultor Familiar, Povoado Baixa da Onça, Paulo Afonso/BA.

Para mim é sempre um aprendizado participar dessas reuniões, que é tudo de bom e, que a gente tem muito que agradecer a AGENDHA pelo belíssimo trabalho que vocês fazem. A reunião foi ótima, participar das reuniões é sempre um grande prazer e sempre um aprendizado. Joelma Lima, Agricultora Familiar, Paulo Afonso.

Estamos na luta para atender nossos agricultores da melhor forma possível, e a gente quer parabenizar também esse trabalho da AGENDHA, por que é importante para dar maior suporte aos trabalhadores rurais. André Farias Faustino – Subcoordenador do SETAF – Itaparica – Paulo Afonso/BA.

A Assistente Técnica e Extensionista Rural da COOPERLAD (Cooperativa de Produção da Agricultura Familiar da Comunidade de Lagoa de Dentro e Região) - Tarcísia Souza, se colocou à disposição do Projeto, na medida que ressaltou a presença da Cooperativa nos três Territórios de Identidade: Itaparica, Semiárido Nordeste II e Sisal, assim vai trabalhar para construir um processo de articulação e firmar parcerias com entidades e movimentos que conhecem a região, como é o caso da AGENDHA em 17 anos de experiência no Território Itaparica.

“Quero desejar um bom trabalho para a Equipe, quero dizer para as agricultoras aproveitarem bastante as capacitações. Assistência Técnica é um leque de diversas oportunidades, então, aproveitem ao máximo. E, no que eu puder contribuir com vocês, podem contar comigo. A COOPERLAD possui um grupo diverso e grande de agricultores, com representação em três Territórios. Nossa cooperativa está cada dia mais organizada com o intuito de potencializar a comercialização dos produtos da Agricultura Familiar nessa região”. Tarcísia Souza - Assistente Técnica Extensionista Rural da COOPERLAD (Cooperativa de Produção da Agricultura Familiar da Comunidade de Lagoa de Dentro e Região)

Janclécio Silva (ACR – Santa Brígida/BA) também se colocou à disposição do Projeto, afirmando que as famílias do meio rural de Santa Brígida têm necessidade de novos projetos, principalmente de Assistência Técnica Rural para ampliar os conhecimento e potencializar a comercialização.

As Reuniões de Articulação com os Parceiros fazem parte das Atividades Pré-Fixadas, referentes ao primeiro ano de execução do Ater Agroecologia Chamada nº 01/2018, e, tem como objetivo principal, fomentar o diálogo com as organizações parceiras, apresentar e ajustar a proposta do projeto e, definir as estratégias de ação.


Texto: Bruna Cordeiro - Comunicação - AGENDHA/ATER AGROECOLOGIA.

15 visualizações