AGENDHA fomenta diálogo para o Ater Agroecologia juntos aos parceiros locais

De 15 a 17 de setembro, a AGENDHA realizou os encontros de articulação com os parceiros locais do Projeto Ater Agroecologia, Chamada ATER/SDR/BAHIATER nº 001/2018. As reuniões aconteceram por videoconferências na Plataforma Google Meet, nos municípios de Santa Brígida (Semiárido Nordeste II), Glória e Paulo Afonso (Itaparica) e, tiveram como objetivo principal traçar o acordo institucional para a realização das atividades tendo em curso o processo de execução.

Foto: Acervo AGENDHA

Estiveram presentes, além da Coordenação e da Equipe Técnica do Projeto, a Coordenadora do Território Itaparica e Membro do Grupo de Trabalho Operacional (GTO) do Ater Agroecologia, Edvalda Aroucha, a Coordenadora do Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar - SETAF/BAHIATER - Eadley Williana, o Agente de Desenvolvimento Territorial – ADT/SEPLAN – Marciel Pereira da Silva, o Subcoordenador do SETAF/Itaparica - André Farias Faustino, a Presidente da AGENDHA, Glaide Pereira-Silva, o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente do Município de Glória - Paulinho Braz, o Engenheiro Agrônomo - Ailton - representante da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Santa Brígida, a Extensionista Rural da COOPERLAD (Cooperativa de Produção da Agricultura Familiar da Comunidade de Lagoa de Dentro e Região), Tarcísia Souza, além de ACRs (Agentes Comunitários Rurais), Dirigentes das Associações e Agricultores Familiares.

A presidente da AGENDHA, Glaide Pereira-Silva, iniciou a reunião colocando à disposição todo o conhecimento e currículo da entidade, que possui 17 anos de atuação e credenciamento como instituição de ATER (Assistência Técnica e Extensão Rural):


“Contem comigo na condição de presidente da AGENDHA, por que a gente faz o que pode. Sigamos na luta que um dia, a gente consegue atingir nosso objetivo principal, que é viver bem, viver com saúde e felicidade, por que ninguém tem pretensão de ser milionário, mas viver bem todo mundo quer, é um direito, e é legítimo e nós conseguiremos isso. Que a gente continue assim, firme, forte, na fé, confiando na providência divina que ela não falha.”

Edvalda Aroucha – Coordenadora do Território Itaparica/Membro do GTO Ater Agroecologia, ressaltou a importância de haver união entre os órgãos implementadores, para que não haja mais retrocessos nas políticas públicas que já foram conquistadas pelo voto e, pelo poder das articulações de grupos e movimentos sociais:


“Estamos na luta pelo implemento e a volta mais efetiva do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos, que os agricultores, já tiveram a oportunidade de participar, vendendo sua produção. Outra luta que estamos iniciando e fortalecendo, é que essa compra da agricultura familiar continue, mesmo no período de pandemia. Com as aulas a distância, o acesso a alimentação escolar foi garantido pelo Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Educação, todavia, os estudantes tiveram que receber o vale nas grandes redes de supermercados. Só que nós continuamos lutando para que essas compras sejam da Agricultura Familiar, que mesmo que ainda existam as aulas a distância, nós estamos lutando para que essas empresas que, garantem uma logística maior para a entrega da alimentação escolar, que elas sejam obrigadas a comprar do agricultor e da agricultora familiar daquele município ou região”.

A vontade de Edejane Araújo Nascimento é aumentar sua produção para atender a uma demanda por ovos caipiras que existe na região. Ela é representante da AMPOC – Associação Comunitária de Moradores do Povoado Olho D’Água dos Coelhos, que fica localizada no Município de Glória/BA. Foi fundada em 1995 e, entre os diversos objetivos, destaca-se o fortalecimento da cadeia produtiva da avicultura. Em 21 anos de atuação, a entidade já recebeu Cisternas de Produção, Quintais Produtivos, Palma Forrageira, mas a criação de galinha e a produção de ovos caipiras foi se fortalecendo e hoje em dia possuem clientela garantida.

“A cada dia é uma aprendizagem nova, a gente tá produzindo, não muitos, mas estamos começando a produzir, também assim, não falta pra vender, se a gente tivesse 200 dúzias de ovos, nós tínhamos como já vender hoje. E estamos aí na luta, devagarzinho, vamos conseguir, se Deus quiser!” Edejane Araújo Nascimento - AMPOC/Glória/BA.

O Secretário de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura de Glória/BA – Paulinho Braz, ressaltou a importância de fomentar o aumento da produção orgânica nos municípios: