top of page

A AGENDHA parabeniza o Coletivo de AgriCultura Jupago Kreká, representando o Povo Xukuru do Ororubá

Em cerimônia realizada 23 de maio (hoje), o Coletivo de AgriCultura Jupago Kreká, representando o povo Xukuru do Ororubá, foi honrado com o renomado Prêmio Lush Spring em reconhecimento ao seu trabalho excepcional na regeneração da Mata da Boa Vista. A celebração ocorreu na vibrante cidade de Berlim, na Alemanha, diante de uma plateia emocionada.

O prêmio, concedido anualmente pela Fundação Lush, destaca e apoia iniciativas inovadoras e sustentáveis em todo o mundo. Este ano, o Coletivo de AgriCultura Jupago Kreká foi agraciado por sua dedicação na preservação e recuperação de suas terras ancestrais, que têm sido alvo de um sistema predatório de criação de gado que compromete a biodiversidade e coloca em perigo suas práticas e conhecimentos em relação à Agricultura Sagrada. O coletivo busca a harmonia entre a variedade de vida na natureza e a diversidade espiritual que permeia o ambiente. Em conjunto com os jovens Xukuru e grupos de mulheres, estabeleceram o complexo sagrado Caxo da Boa Vista como um ponto de referência para a agricultura tradicional. "Nossa prática é a cosmonucleação regenerativa. Recorremos a ciência orgânica da Mata de Ororubá e a ciência dos espíritos de luz, num caminhar-aprender-ensinar em pedagogia de passarinho. Ao regenerar pelo caminhar para as pedras sagradas coevoluímos em sutilezas e em guianças com racionalidades radiadas. Regenerar é restabelecer a saúde do território e curar as feridas dos ancestrais. A AgriCultura do Sagrado promove a Cultura de Encantamento. Por isso nos (re)conectamos a uma ecologia dos encantados para garantir Terras para Boas Vistas as encantarias de Ororubá.” Iran Neves Ordônio Xukuru

A Associação da Comunidade Xucuru do Ororubá (Pesqueira/PE) faz parte do Projeto de Desenvolvimento Sustentável de Cadeias de Valor de Plantas Medicinais e seus Produtos Fitoterápicos Tradicionais do Bioma Caatinga, uma iniciativa que que visa melhorar os benefícios globais da biodiversidade, assim como diversos co-benefícios nacionais e locais resultados do uso sustentável, acessível e inovador de plantas medicinais dos ecossistemas brasileiros. Esse projeto é realizado pela AGENDHA em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima – Governo Federal. #AGENDHA #ComunidadeXucuru #PlantasMedicinais #FitoterapiaTradicional #Caatinga #DesenvolvimentoSustentável #PreservaçãoAmbiental #ConhecimentoAncestral

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page